Metamucil Psyllium Planatago Ovata

Constipação nos idosos

Constipação intestinal nos idosos

A constipação ou prisão de ventre é uma das queixas mais comuns na terceira idade, atingindo 26% dos idosos do sexo masculino e 34% do sexo feminino1.

Inúmeros fatores podem levar à constipação, como o psicológico, o uso de medicamentos, o sedentarismo, a má alimentação e, até mesmo, tumores e outras enfermidades.

Na maior parte dos casos, quando não está associada a alguma doença, a constipação no idoso está relacionada ou é intensificada por maus hábitos alimentares, mastigação inadequada, diminuição do paladar e do olfato, dificuldade visual, horário das refeições, redução da atividade física, perda da força de pressão abdominal, fraqueza da musculatura da parede intestinal e diminuição do reflexo de defecação.

O que é a constipação ou obstipação intestinal?

Quando se fala em constipação, não se está referindo necessariamente ao número de dias em que o intestino não funciona. Constipação intestinal inclui a diminuição do número de evacuações considerado usual nos últimos seis meses, a dificuldade para evacuar normalmente e o esforço necessário para a evacuação. Normalmente, os principais sintomas da prisão de ventre são menos de três evacuações por semana, fezes endurecidas e dificuldade de esvaziamento.

Como a prisão de ventre é mais um sintoma do que propriamente uma doença, deve-se tentar corrigir as causas do distúrbio intestinal. Normalmente, uma mudança no estilo de vida, com mais atividades físicas, caminhadas ao ar livre, maior ingestão de líquidos e alimentação adequada resolvem o problema.

A dieta para idosos deve ser balanceada para propiciar um estado nutricional ideal, o que proporciona a vitalidade necessária para eliminar o sedentarismo, além de prevenir ou ajudar a tratar disfunções orgânicas e problemas intestinais. Por isso, todos os nutrientes devem ser ingeridos e a alimentação deve estar adequada tanto em termos de quantidade quando da qualidade dos alimentos, principalmente os ricos em fibras.

A importância das fibras para tratar a constipação

A alimentação tem papel crítico na função intestinal, em especial nos idosos. Por isso, é importante adequar a alimentação e introduzir uma quantidade suficiente de fibras alimentares. Estudos comprovam que a ingestão de fibra diminui a constipação e outras desordens gastrointestinais, incluindo doença diverticular e câncer colorretal. As fibras aumentam o volume fecal, diminuindo o tempo de trânsito intestinal2, além de tornar as fezes mais macias, o que facilita a eliminação.

Para uma nutrição completa e rica em fibras é necessário comer uma grande variedade de alimentos, de forma a obter energia, proteínas, vitaminas, minerais e fibras necessários para uma boa saúde. Ao mesmo tempo, deve-se diminuir o consumo de alimentos refinados, como açúcar, doces, bolos, arroz branco, massas, pão branco e farinha de trigo refinada, por serem pobres tanto em nutrientes quanto em fibras.

De acordo com estudos financiados pela Organização Mundial da Saúde (OMS)3, a ingestão diária ideal de fibras para um adulto é entre 25 e 30 gramas, e deve ser alcançada preferencialmente por meio do consumo de cereais integrais, frutas, verduras e legumes. Também é importante aumentar a ingestão de líquidos para pelo menos 2 litros por dia com sucos naturais, água de coco, chás ou água; caso contrário, o consumo de fibras resseca as fezes e pode dificultar ainda mais o trabalho dos intestinos.

No entanto, o consumo das quantidades de fibras necessárias para o bom funcionamento do organismo e, principalmente, do intestino pode não ser tão fácil, especialmente para os idosos, que tendem a ter o apetite reduzido. Para se ter uma ideia, uma maçã de 100 g possui em média 2,4 g de fibras, e uma banana de 120 g possui aproximadamente 3 g.

Metamucil: fonte de fibras de origem 100% natural

Uma das formas de tratamento da constipação é com o uso de medicamento à base de fibra alimentar de origem natural, como Metamucil, cujo principal princípio ativo é a superfibra da casca do Psyllium. O Psyllium é chamado de superfibra porque cada 100 gramas suas fornecem 80 gramas de fibra solúvel.

Metamucil é fonte de fibras solúveis e insolúveis de origem natural que proporcionam diversos benefícios ao organismo. A casca do Psyllium é uma fibra natural viscosa que aumenta o volume das fezes e estimula o movimento intestinal. Após ser digerida pelo estômago, ela segue para o intestino, onde o volume desta fibra esponjosa aumenta muito, formando uma massa gelatinosa que limpa as paredes intestinais, transportando toxinas e resíduos e eliminando-os pelas fezes.

Por isso, Metamucil apresenta efeito laxante, sem os mesmos níveis de efeitos colaterais de outros laxantes, como dor e diarreia, , promovendo verdadeira limpeza no intestino, auxiliando no tratamento da constipação intestinal.

Referências:
1Andrade, M.A. et al (2003) Assistência farmacêutica frente à obstipação intestinal no idoso. Infarma, 15(9-10): 64-69.
2Schaefer, D.C. & Cheskin, L.J. (1998) Constipation in the Elderly. Am Fam Physician. 58(4): 907-914.
3Reynolds, A. et al. (2019). Carbohydrate quality and human health: a series of systematic reviews and meta-analysis. The Lancet, 393(10170): 434-45.
Como preparar Metamucil: copo e colherLaranjas